Mês: abril 2008

Adeus

meus zumbis, meus fantasmas, minha carne fraca
os preconceitos, o que eu não posso, o medo de tudo
orgulho bobo de abaixar a cabeça
satisfação de vítima, não poder fazer nada
a infinita fraqueza
as cenas de sempre e sempre e
sempre repetidas
o que merecia ser dito e não foi, a falta de coração, a confusão
pensamentos contidos
pesadelos vivos
arrependidos

Vocês sabem, são muito importantes pra mim…
Me de desculpem por abandonar vocês aqui.